Assédio

O post de hoje infelizmente não é sobre coisas boas, é algo que foge totalmente do propósito desse blog, é sobre o que nós mulheres enfrentamos a vida toda, em qualquer lugar do mundo: o assédio sexual.

Uma das coisas que mais gosto de morar na China é a segurança, logo de cara percebi o quanto era preocupada com dinheiro, bolsa, e principalmente comigo mesma, enquanto os chineses nunca pensam em algo do gênero, porque violência e assalto são coisas raras por aqui.

Depois de quatro meses morando na China, me sentindo tão segura como nunca me senti no Brasil, tive uma desagradável surpresa. Sofri assédio sexual dentro de uma loja, na sessão feminina em um shopping que costumo ir, não foi com palavras, porque nem teria entendido, mas foi vendo seu membro e os gestos que o assediador fazia me olhando. Sim, dentro de uma loja, localizada dentro de um shopping!!!

Não é a primeira vez que passo por uma situação dessas, não preciso nem listar os assédios verbais que já escutei. No Brasil, quando era adolescente e esperava o ônibus depois da escola, aconteceu a mesma coisa que relatei no parágrafo acima. Anos depois, sou adulta e estou do outro lado do mundo e a situação constrangedora se repete.

Dias depois li esse post do BuzzFeed sobre o projeto da fotógrafa Eliza Hatch, Cheer Up Luv, no qual ela fotografa as mulheres nos locais públicos em que sofreram assédio sexual, e assim, dão um novo significado àquele ambiente. Eu não vejo vítimas nessas fotos, vejo mulheres fortes que tiveram coragem pra falar quando seria mais fácil deixar pra lá. Não me senti feliz depois de ler tantos relatos absurdos, mas senti que não estou sozinha, que assim como eu, mulheres sofreram e sofrem com o assédio em qualquer lugar do mundo, estando em qualquer idade, vestindo qualquer roupa. E depois de ler as histórias que aconteceram em vários países, pude ver que esse não é um problema que está no Brasil ou na China, pois infelizmente, ele está presente no mundo inteiro.

Segue abaixo algumas fotos desse trabalho e o relato de cada mulher.

livi1
Eu estava caminhando sobre a Ponte Putney (Londres | Inglaterra) e uma van passou com dois caras que gritaram ‘Oi’, quando virei e olhei um deles disse ‘Bela bunda’. Eles estavam olhando pra mim, com a janela aberta assobiando e me chamando. Em cima da ponte, cruzei para o outro lado da rua mas eles mudaram de pista para seguir em minha direção. Nesse ponto eu fiquei com medo porque eles não estavam me deixando sozinha. Cruzei a rua novamente para ficar no lado oposto, mas como a rua estava calma eles conseguiram vir próximo de mim novamente. De repente, eu percebi que poderia pegar uma rua apenas para pedestres que levava ao rio, então eu rapidamente me virei e fugi deles. — Livi
emmeline1
Era uma noite quente de Julho no metrô lotado em Paris (França), cerca de um metro de distância de mim tinha um homem sorrindo constantemente ao me olhar. Depois de poucos minutos eu percebi que ele estava se tocando enquanto me olhava. Entrei em pânico e sai correndo na próxima parada. – Emmeline
gina1
Eu estava no British Summer Time Festival (Londres | Inglaterra) quando um grupo de homens começaram a incomodar-me. Eu pedi para me deixarem sozinha mas eles continuaram. Um deles levantou minha saia e tirou uma foto, depois enviou-a para os amigos e vi eles olhando a foto. Eu peguei o celular e corri através da multidão até a polícia, mas eles disseram que não poderiam fazer nada. Então, os policiais fizeram ele apagar a foto do celular, a minha evidência.  – Gina
broek1
Eu estava andando de bicicleta com uma amiga, em uma noite no Central Park ( Nova York | EUA) quando um cara de bicicleta passou por nós, ele estava perto e o membro dele estava para fora da calça. Sendo que estávamos juntas e éramos adultas foi como ‘Ok, é só um pênis’. Mas o fato dele fazer isso em um parque era muito estranho, então fomos até um carro policial para contarmos o que aconteceu. Eles nos disseram: ‘Ok, há estranhos lá fora’. – Breek
danielle
“Eu estava sentada em um ônibus viajando pela Croácia, e quatro homens sentaram-se na fileira de assentos na minha frente. Um deles se sentou ao meu lado sem ser convidado e começou a conversar. Nas duas horas seguintes, ele continuou se aproximando cada vez mais de mim, tentando me tocar e me acariciar. Ele tentava colocar sua mão debaixo do meu macaquinho, e toda vez eu dizia para ele me deixar em paz. Havia um casal que estava sentado do outro lado, mas eles não fizeram nada. Quando o ônibus parou, eu tentei passar por ele e ele passou a mão na minha bunda.” — Danielle

6 comentários em “Assédio

Adicione o seu

  1. E o triste é pensar que isso soa normal para os homens… Eles não vêm isso como algo ruim, e sim como algo natural. Eu como mãe de menino tenho essa preucupacao sabe. De como educar ele… De como mostrar que isso não é comum, que é agressão, crime!

    Curtido por 1 pessoa

    1. É verdade! Acham comum coisas como buzinar ou gritar na rua e não imaginam como um gesto como esse nos agride.. com certeza o que faz a diferença é a educação, tu vai fazer a tua parte por um mundo melhor educando um menino com esse pensamento! ❤️

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: